Feeds:
Posts
Comentários

Archive for março \13\UTC 2009

Certa vez, um amigo padre me contou que iria celebrar a missa no fim de um encontro para casais católicos que vivem em segunda união. Tudo ótimo. Não fosse a peça que a liturgia pregou nele naquele dia: o evangelho seria exatamente aquele que diz que “aquele que rejeita sua mulher está em adultério” e assim por diante. A infeliz coincidência era tamanha que pensou consigo: “Não é possível, Deus deve estar querendo falar algo comigo”. Em sua reflexão, chegou a algumas conclusões com as quais compartilho e divido-as com vocês:

Deus tem para nós um plano, um projeto ideal: a santidade, a perfeição: “sede perfeitos, assim como vosso Pai celeste é perfeito.” (Mt 5, 48). No entanto, muitas vezes, não temos, por uma série de restrições que a nossa vida nos impõe, condição de desenvolver nossa santidade do jeito que Deus gostaria. Nossa história nem sempre é contruída do jeito que nós planejamos. Há percalços, tropeços e momentos em que a vida nos leva por um caminho nos quais não ambicionávamos trilhar, mas… Foi o que deu. Diante desses desencontros da vida, muitos se desencorajam em levar adiante sua fé, por verem-se em perdidos em caminhos mal vistos e acabam abandonando Deus aos seus fiéis (mas muitas vezes hipócritas) seguidores.

Será que quando essa perfeição não é atingida o nosso Pai do céu nos descarta simplesmente como uns fracassados e indignos? Será que a vida cristã só é válida se atingimos um patamar de 100% de santidade?

Infelizmente, é muito comum que nós, filhos mais velhos que somos, julguemos e condenemos as pessoas quando essas não atingem o ideal de santidade que NÓS esperamos delas e em muitas vezes o fazemos até com certo prazer. Não é de se admirar que aquelas pessoas desistam de Deus e de um projeto de vida cristã, por achar algo por demais alto para ser alcançado por alguém tão pecador. Mas, ora, não foi justamente esse paradigma que Cristo veio quebrar, contrariando todos os padrões vigentes, militados com fervor pelos fariseus?

Ideais são para serem perseguidos, mas como o nome diz, pertencem ao mundo das idéias. A santidade em terra talvez seja apenas uma utopia, mas que precisa ser almejada. No entanto, acreditar que qualquer coisa diferente da perfeição nos reduz a nada não condiz com a realidade da boa nova que Cristo não só veio nos ensinar, mas como veio ser para nós. Ser santo talvez não seja apenas ser perfeito, mas ser o melhor que pudermos ser em cada instante da nossa vida. E sede benvindos, pecadores! Eis aqui vosso lugar!

Anúncios

Read Full Post »

Depois de um mês de recesso devido às minhas férias, estou de volta ao Especular. Foi um mês de férias onde o que eu menos fiz foi descansar: mudança, gravação de CD, tocar em retiro de Carnaval… Ai, como é bom voltar ao trabalho…

Read Full Post »