Feeds:
Posts
Comentários

Archive for junho \12\UTC 2010

FIFA x Deus

A FIFA proibiu as manifestações religiosas dos jogadores nos jogos da Copa do Mundo. A única voz que pode falar em campo é a voz do patrocinador. Num momento em que alguns países proíbem a ostentação de símbolos religiosos, isso se torna sintomático. a grande religião do século XXI é o consumo.

A fé cada vez mais é um artigo cuja propaganda tem sido proibida. Tratada exatamente como o cigarro, por exemplo, que teve sua propaganda proibida na década de 90 e que acabou com eventos como o Hollywood Rock e o Free Jazz Festival. Será que Marx venceu? Será que vamos mesmo ser obrigados a comprar a idéia de que “a religião é o ópio do povo”?

Em tempos onde tanto se discute sobre democracia, liberdade de expressão e de religião, essa tendência é um enorme contrasenso e exige de nós, crentes de todas as crenças, uma postura. Afinal de contas, o ateísmo é ou não é também uma crença?

Read Full Post »

Comecei a compor quase na mesma época em que comecei a tocar violão. Tocava no grupo de oração e sentia necessidade de produzir mais músicas novas, músicas que expressassem a espiritualidade daquelas pessoas que vinham toda semana para falar com Deus e ouvi-lo. Era uma época em que quase toda a produção musical católica era produzida na RCC por pessoas que gravavam seus discos com músicas que, de autoria própria ou não, costumavam cantar em seus grupos. Da mesma forma, comecei a compor músicas para serem cantadas em grupos de oração.

Apesar disso, minhas músicas permaneceram durante um bom tempo engavetadas (revisitando-as hoje, agradeço esse feliz contratempo). Alguns anos mais tarde resolvi gravar uma fita cassete com minhas composições e distribuir para alguns amigos próximos. Eu, que sempre fui – e até hoje sou – muito tímido para mostrar minhas músicas, tive ali naquele cassete que batizei de Recado meu primeiro canal de divulgação das minhas músicas.

Curiosamente, pouco tempo depois fui chamado para participar de uma banda cujo nome refletia essa minha constante necessidade de produzir novas composições: Canto Novo, uma das bandas do Rio de que mais gostava. Lá tive a oportunidade de, além de compor especificamente para a banda (“Nova geração” e “Quando Deus não está”), cantar músicas que eu já tinha antes de entrar para a banda (“Junto a mim” e “Desafio”) e, graças a Deus o retorno era muito positivo.

Ao longo desses anos sempre tive a consciência de que minha música estava mais a serviço do ministério que eu exercia no momento do que por uma necessidade artística pessoal. Minhas músicas, com raras exceções, eram feitas para serem tocadas nos grupos que eu frequentava, muito embora isso quase nunca acontecesse.

Sendo assim, com o tempo, fui me dando conta de que a melhor maneira de que fazer com que minha música chegasse onde deveria – no louvor das pessoas –  a melhor maneira era embalando-as com arranjos bem bonitos e encaixotando num CD. É assim que nasce meu mais novo projeto. Seja bem-vindo!

Read Full Post »